Projeto experimental de pesca esportiva na região turística Lagos e Praias do Cantão é apresentado ao Governo do Tocantins

Segundo estimativas de especialistas, o Brasil possui pelo menos 4 milhões de pescadores amadores e profissionais. Rios e lagos para esta prática não faltam, sendo a pesca esportiva, inclusive, reconhecida pelo grande potencial de atração turística, com geração de emprego e renda, inclusão das comunidades originais e preservação ambiental. Empresários do setor estiveram na Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa do Tocantins (Adetuc) para apresentar proposta de implantação de projeto experimental na região turística Lagos e Praias do Cantão.

Estiveram reunidos com o presidente da Adetuc e secretário de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (Sics), Tom Lyra, nessa quarta-feira, 22, os empresários Paulo Pesquero, Jérôme Siffredi e Felipe Tavares, além do consultor ambiental Kelvin Lopes, que apresentou proposta de estruturação do turismo de pesca esportiva na região. Também participaram do encontro o presidente do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Sebastião Albuquerque; e o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas, Warley Rodrigues.

Warley Rodrigues defendeu envolvimento das comunidades locais – Flávio Cavalera/Governo do Tocantins

O projeto aponta a vocação para a pesca turística da região turística Lagos e Praias do Cantão, por se tratar de atividade de baixo impacto ambiental, com benefícios econômicos sustentáveis, coibindo a pesca predatória. “Projetos como este afastam a atividade ilegal”, pontuou Paulo Pesquero, que solicitou a parceria da Adetuc e do Naturatins, devido ao potencial de atração turística e ao aproveitamento da proposta como ferramenta de desenvolvimento sustentável.

O consultor ambiental Kelvin Lopes enfatizou que o estado do Tocantins possui grande facilidade de acesso às áreas pesqueiras. Sobre a região turística Lagos e Praias do Cantão, enfatizou que se trata de uma região privilegiada, com espécies de grande interesse, como o tucunaré, a bicuda e os grandes bagres. Jérôme Siffredi também lembrou a possibilidade de cruzamento de atividades turísticas, como a prática de trilhas para observação de aves. “Para implantação do turismo de pesca devidamente regulamentado na região, é necessária a apresentação de um plano de manejo, com implementação de estudos de controle da ictiofauna para as espécies, além do monitoramento e da proteção territorial”, explicou o consultor ambiental, ao completar que o projeto prevê capacitações e implementação de regras de uso para redução da taxa de mortalidade acidental dos peixes.

Kelvin Lopes pontuou que o Cantão é uma região privilegiada – Flávio Cavalera/Governo do Tocantins

Os representantes do Naturatins pontuaram que se a proposta do Plano de Manejo de Pesca Esportiva envolver lagos no Parque Estadual do Cantão existe a necessidade de apresentação do projeto para avaliação do Conselho do Parque, pois esta atividade ainda não está permitida na unidade. Warley Rodrigues lembrou que a região possui mais de 840 lagos catalogados e, em qualquer atividade, o envolvimento das comunidades locais é uma condicionante.

Para Tom Lyra, o trabalho multidisciplinar envolvendo setor privado e gestão pública é ideal para o desenvolvimento de propostas voltadas ao desenvolvimento econômico do Tocantins, sendo o governador Mauro Carlesse um defensor das parcerias público-privadas.

Fonte: Seleucia Fontes/Foto: Flávio Cavalera/Secom/TO.

Edição: Caroline Spricigo – Revisão Textual: Marynne Juliate

Posts Recentes

Categorias

https://twitter.com/RybaLima

Redes Sociais!

Assinar!

Share On Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons