Em caminhada pela acessibilidade, advogado cego dá exemplo de determinação

“Eu prefiro servir do que ser servido. Para isso, eu precisoser independente e não sou, assim, acabo sendo servido mais do que sirvo”,relatou o advogado Marques Elex Silva Carvalho, 48 anos, que é cego. Ele participou da 6ª Caminhada das Pessoas com Deficiência, que reuniu mais de 400 pessoas na manhã desta última sexta-feira, 7. O evento percorreu a Avenida Prefeito João de Sousa Lima, entre o estacionamento da Feirinha e a Praça das Bandeiras, no Bairro São João.

Para o advogado, muitos avanços desde sua formação universitária, quando fazia prova oral e datilografada, mas explica que a acessibilidade ainda precisa evoluir. “No meu trabalho, eu preciso ler os processos e para isto o documento precisa ser enviado em formato que o leitor de telas consiga identificar. O que não acontece com frequência. Eu perco muito tempo para fazer essa modificação, logo, não tenho a mesma oportunidade que outros profissionais”, exemplificou.

A demanda do advogado vai de encontro ao tema desta edição da caminhada: “Acessibilidade não é só rampa”. O evento tem apoio da Prefeitura de Araguaína na organização e segurança nas vias e locais públicos. A promoção da caminhada é realizada pela Associação das Pessoas com Deficiência deAraguaína (ADA) e Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência deAraguaína (CMPD).

Direitos garantidos

Os deficientes podem contar com diversos atendimentos ofertados pelo Município nas áreas de Educação, Saúde e Assistência Social.Como no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro-Dia, Clínica Escola Mundo Autista, Central de Interpretação de Língua Brasileira de Sinais (CIL) e Núcleo de Apoio Pedagógico aos Deficientes Visuais de Araguaína.

Araguaína é o único município do Tocantins que tem uma CIL, prestando atendimento a mais de mil pessoas por mês. Também conta com professores surdos e interpretes que oferecem capacitação aos servidores públicos da Saúde, Educação e Assistência Social. Além de contar com um veículo disponível para ajudar os deficientes auditivos no acompanhamento médico.

Também única no Estado, em funcionamento desde 2016, a Clínica Escola Mundo Autista atende 450 pessoas com algum grau de Transtorno do Espectro Autista (TEA) e cerca de 200 usuários.

Infraestrutura na qualidade de vida

Araguaína também está investindo na mobilidade urbana, garantindo a acessibilidade de todos. Em 2018 foram instaladas mais 35 km de calçadas com acessibilidade, atendendo os setores Vila Aliança, Alaska,Senador, Central e São João.

E mais 20 km de calçadas acessíveis serão instaladas em 2019. Desde 2013 até o final deste ano, o Araguaína terá investido em mais de120 km de calçadas com acessibilidade. Os setores Oeste, Aeroviário, Jardim Esplanada, São Miguel, Céu Azul, Itapuã, Maracanã e Universitário já contam caladas acessíveis.

E os setores Lago Azul 1, 3 e 4, Construindo Sonhos, Parque do Lado e Costa Esmeralda foram entregues com infraestrutura completa.

A promoção da caminhada é realizada pela Associação das Pessoas com Deficiência de Araguaína (ADA) e Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Araguaína (CMPD) (Marcelo Martin – Foto: Marcos Filho Sandes/Ascom)

Posts Recentes

Categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons