Cidadania Cultura

Com foto de Loise Maria, DPE-TO conquista 1º lugar no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça

A foto “Vidas Amontoadas”, da repórter-fotográfica Loise Maria, retrata o sistema prisional e foi feita no ano passado em Paraíso do Tocantins. A Defensoria Pública do Estado do Tocantins também conquistou o 2º lugar na premiação com a foto “Ser Forte Pelos Mais Fracos”, de Marcus Mesquita.

A Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) conquistou o 1º lugar no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça (PNCJ) – categoria Fotografia – com a foto “Vidas Amontoadas”, da repórter-fotográfica Loise Maria. A solenidade de premiação foi realizada na sexta-feira, 31, no Hotel Nobile, em São Paulo (SP), ocasião em que a Defensoria também conquistou o 2º lugar na premiação, na mesma categoria, com a foto “Ser Forte Pelos Mais Fracos”, do jornalista Marcus Mesquita.

A foto premiada em 1º lugar retrata a superlotação no sistema prisional e foi feita em 2018, durante vistoria realizada pela defensora pública Letícia Amorim na Casa de Prisão Provisória (CPP) de Paraíso do Tocantins. “Vivos são traídos, presos são esquecidos e mortos, nem sempre deixam saudade. É para mudar essa realidade que a Defensoria Pública está presente”, diz o texto de apresentação da foto (para assistir ao vídeo, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=c0QvLTRTvRY&t=23s)

Esta é a quarta vez que a DPE-TO é premiada em primeiro lugar no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça. Em todos os casos, as fotos foram de Loise Maria. “Gratidão define meu sentimento!”, disse ela. Segundo a repórter-fotográfica premiada, a foto e o Prêmio reforçam o seu compromisso profissional: “É com muita alegria que recebo a notícia da conquista de mais um Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça na categoria fotografia e em primeiro lugar. O registro expressa e renova a minha responsabilidade enquanto profissional e cidadã em mexer na alma e tocar no íntimo quanto às mazelas sociais inseridas na sociedade”.

Pela primeira vez, o Fórum Nacional de Comunicação e Justiça (FNCJ), organizador do Prêmio, concedeu o primeiro lugar a dois finalistas. Isso porque o corpo técnico de jurados não conseguiu decidir, observando a todos os critérios de avaliação, qual trabalho seria premiado. Assim, o outro premiado em 1º lugar foi o Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE-AL) com a foto FPI do São Francisco I.

Já o 2º lugar foi conquistado pela foto de Marcus Mesquita, feita em setembro do ano passado, durante ação de reintegração de posse no acampamento Dom Celso, município de Porto Nacional. A foto registra o momento em que uma mulher acalenta duas crianças. O vídeo de apresentação da foto (disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ZhRlbdLKsW8) descreve a mulher como representante das mulheres do Brasil: forte, guerreira, sem perder a sensibilidade com aqueles que precisam.

“Desde que cheguei na Defensoria, há um ano, a minha admiração pelo trabalho defensorial só cresce, e isto reflete na minha atuação, pois busco manter o mesmo nível de excelência praticado pelos membros e demais servidores da Instituição. Nunca fui tão profissionalmente feliz e, até então, esta vice-colocação, com direito ao título da amiga Loise, representa o ápice desta felicidade”, disse Marcus Mesquita.

 A ação de reintegração de posse, quando o registro premiado foi feito, teve acompanhamento da Defensoria com a coordenação da defensora pública Denize Souza Leite.

Ao saber da dupla premiação da DPE-TO, o defensor público-geral no Tocantins, Fábio Monteiro dos Santos, parabenizou Loise e Marcus e destacou que as fotos retratam o cotidiano da atuação de membros e servidores. “Elas [as fotos] mostram a vida dos nossos assistidos e demonstram, também, o belo trabalho de nossa Comunicação”, disse ele, acrescentando que a premiação reconhece a sensibilidade dos profissionais da DPE-TO.

Premiação

Órgãos e entidades de todo o País concorreram ao Prêmio, que faz parte da programação oficial do Congresso Brasileiro dos Assessores de Comunicação do Sistema de Justiça (Conbrascom). Além de Fotografia, o Prêmio tem outras 13 categorias.

O Prêmio é simbólico, ou seja, não há premiação em dinheiro ou quaisquer outros benefícios. O troféu, chamado de “Deusa”, é concedido à Instituição premiada como reconhecimento pelo trabalho. Um certificado também é emitido com o nome de todos os envolvidos direta e indiretamente no projeto/pauta.

Na premiação, a Defensoria foi representada pela chefe da Assessoria de Comunicação da DPE-TO, a jornalista Cléo Oliveira, e pela analista em gestão especializada – Jornalismo da Defensoria, Rose Dayanne Santana (para ler sobre a participação da DPE-TO no Conbrascom, clique aqui http://www.defensoria.to.def.br/ascom/noticia/34658).

Pelo Tocantins, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO) foi premiado em 1º lugar com a peça “Dona Eleição”, na categoria Mídias Sociais.

Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça  2019 – categoria Fotografia

1º lugar: Defensoria Pública do Estado do Tocantins (foto de Loise Maria) e Ministério Público Estadual de Alagoas

2º lugar: Defensoria Pública do Estado do Tocantins (foto de Marcus Mesquita)

3º lugar: Tribunal de Justiça do Estado de Goiás

Premiações DPE-TO no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça  / Fotos de Loise Maria

2015: Defensoria Quilombola

2016: Sonho interrompido

2017: Pés Calejados

2019: Vidas Amontoadas

Legendas:

01-Foto Loise:  Vidas Amontoadas: foto de Loise Maria premiada no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça (PNCJ) – Foto: Loise Maria / Ascom DPE-TO – arquivo 2018

02-Foto Marcus Mesquita: Ser Forte Pelos Mais Fracos: foto premiada em 2º lugar no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça Foto: Marcus Mesquita / Ascom DPE-TO – arquivo 2018

Cléo Oliveira / Ascom DPE-TO

Posts recentes

Categorias

Moderador
Ativista social e blogueiro
http://cerradopost.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *