Mutirão do Agrocrédito chega a São Félix do Tocantins

Depois de Ponte Alta do Tocantins, agora é a vez dos agricultores familiares do município de São Félix do Tocantins, a 263 km de Palmas, receberem o Mutirão do Agrocrédito, de 8 a 11 de outubro.

A iniciativa, coordenada pelo Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), tem por objetivo facilitar o acesso dos produtores ao crédito rural e atender as demandas apresentadas pelo município. A abertura oficial do mutirão ocorrerá nesta quarta-feira, 9 de outubro, no Centro de Eventos Antônio dos Reis, às 8 horas, e contará com a presença do presidente do Ruraltins, Thiago Dourado, bem como de diretores e extensionistas do órgão.

Segundo o engenheiro agrônomo, Marco Aurélio Gonçalves Vaz, um dos profissionais do Ruraltins, responsável pela elaboração de projetos de crédito para a região, em São Felix, 20 membros da Associação Rural dos Agricultores Familiares da Barrinha, além de outros 20 agricultores familiares individuais, serão atendidos nesta etapa.

“Em uma parceria com a Prefeitura Municipal, que mobiliou toda a classe de agricultores, vamos executar o trabalho de campo, realizando levantamento e organização de toda documentação para a confecção dos projetos e assim projetar os sistemas produtivos que os agricultores desejam implantar ou melhorar em suas propriedades”, afirmou o engenheiro agrônomo.

Resultados em Ponte Alta

Entre os dias 23 e 27 de setembro, os extensionsistas do Ruraltins, Marco Aurélio Gonçalves e Mário Cella, visitaram 28 propriedades de Ponte Alta do Tocantins, no sentido de destravar o volume de demandas apresentadas pelo município relativas ao crédito rural, a fim de garantir o desenvolvimento econômico e financeiro das famílias que vivem da produção agrícola na região. Durante o mutirão os técnicos e os agricultores construíram as propostas para as atividades desejadas ou melhorias nas existentes.

“O Mutirão do Agrocrédito em Ponte Alta, possibilitou a elaboração de 24 projetos, pois alguns produtores têm mais de uma propriedade. Esses projetos já estão em fase de finalização para serem apresentados ao Banco da Amazônia. A ação foi muito positiva, e esse movimento despertou na sociedade de forma geral, e principalmente na classe produtora, a percepção de que existe essa oportunidade de financiamento para ampliar o seu sistema produtivo. Diante disso, já estamos organizando uma segunda visita a Ponte Alta para atender aqueles produtores que não puderam ou que não estavam preparados para receber a primeira visita”, frisou o engenheiro Marco Aurélio.

Crédito rural

Por meio das ações dos extensionistas, milhares de agricultores são beneficiados pelo crédito rural, em todo estado. O Ruraltins disponibilizou, em 2018, via banco do Brasil e Banco da Amazônia, mais de R$ 50 milhões aos agricultores familiares, sendo o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) a linha de crédito mais acessada.

Os recursos são aplicados pelos agricultores em reforma da pastagem, infraestrutura rural, aquisição de matrizes leiteiras/corte, tratores, máquinas e outros equipamentos indispensáveis às atividades desenvolvidas no campo.

Fonte Lúcia Brito/foto Lúcia Brito/Secom-TO.

Posts recentes

Categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons