Jornada Pedagógica inédita debate novas estratégias para a alfabetização

Mais de 700 profissionais da Educação Municipal, entre professores, coordenadores e diretores e técnicos, participaram do evento em Araguaína

O foco da jornada foi o debate sobre o processo de alfabetização nas escolas municipais, com a abertura para uma ampla discussão sobre possíveis caminhos e propostas para desenvolvimento nas unidades de ensino

“Saber ler e escrever com autonomia é decisivo para a formação das pessoas, pois esse domínio abre a perspectiva da inserção social e da igualdade ao longo da vida”, destacou a gerente-executiva de Educação do Instituto Ayrton Senna, Inês Kisil, uma das palestrantes da I Jornada Pedagógica do Município, realizada nesta quinta e sexta-feira, 28 e 29, na Embaixada Internacional Vida (Igreja Vida).

Mais de 700 profissionais da educação, entre professores, coordenadores, diretores e técnicos da Rede Municipal de Ensino participaram do evento. O foco da jornada foi o debate sobre o processo de alfabetização nas escolas municipais, com a abertura para uma ampla discussão sobre possíveis caminhos e propostas para desenvolvimento nas unidades de ensino.

Entre as temáticas, a alfabetização 360° na perspectiva da Educação Integral, apresentada por Inês Kisil. “Em matéria de alfabetização das crianças, entre os seis e oito anos, precisamos acelerar os esforços para investir com ousadia e ampliar as fronteiras de qualidade, preparando o estudante como um ser integral”, complementou a especialista.

A alfabetização 360°

“Quando falamos em alfabetização 360º, estamos pensando na etapa inicial do ensino escolar, levando em consideração o aluno como um ser integral, avaliando o comportamento, o cognitivo e social da criança de forma individual. É um trabalho que requer também um pensamento aberto para o avanço tecnológico que tem ocorrido ao nosso redor e que nossos estudantes não podem estar fora”, destacou Inês.

“O segredo é equilibrar, da melhor forma, os avanços do século XXI, com o ensinar. As crianças de hoje, não são as de antigamente”, disse a educadora.

Ainda foram palestrantes do encontro a professora Silvia de Mattos Gasparian, que falou sobre “A escola que alfabetiza no Século XXI”; e o professor Hani Awad, sobre “Professor transformador: pela paixão de ensinar e o desafio de inovar e encantar”.

Exemplos reais

Há mais de 15 anos como professora da Rede Municipal de Ensino, Rosilene Gomes, é apaixonada pela alfabetização. Atualmente é diretora da Escola Municipal Domingos Sousa Lemos, no Setor Jardim das Flores, e realiza, junto com a equipe da unidade, capacitações e projetos internos para motivar as inovações no processo de alfabetizar.

“A alfabetização é a base para o aluno, portanto, precisa ser bem-feita. Costumo incentivar a equipe a focar nessa área com muito amor, acompanhando a individualidade real das crianças. Para isso um dos trabalhos que desenvolvemos é o Projeto de Reforço, que envolve a família dos alunos e a comunidade do bairro e temos a oportunidade de conhecer mais de perto a realidade nosso aluno”, destacou a diretora.

De acordo com o secretário municipal da Educação, José da Guia, são propostas e debates como os apresentados durante o a jornada que contribuem para o avanço educacional do Município. “Essa é a primeira edição do evento, que pretende ser mais uma ferramenta de capacitação e motivação aos nossos profissionais”, concluiu o secretário.

“O segredo é equilibrar, da melhor forma, os avanços do século XXI, com o ensinar. As crianças de hoje, não são as de antigamente”, disse a educadora.

A alfabetização é a base para o aluno, portanto, precisa ser bem-feita. Costumo incentivar a equipe a focar nessa área com muito amor, acompanhando a individualidade real das crianças, disse a diretora.

Fonte: Adriana Santana / Foto: Marcos Sandes/Ascom

Posts recentes

Categorias

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons