Saúde debate atendimento à comunidade LGBT e populações vulneráveis

As políticas públicas de saúde voltadas para a comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) e demais populações vulneráveis, foram discutidas, na tarde desta sexta-feira, 10, pela Diretoria de Atenção Especializada e a Gerência de Áreas Estratégicas para os Cuidados Primários da Secretaria de Estado da Saúde (SES); a Comissão de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil, no Tocantins (OAB-TO) e o Núcleo Dandara do Ambulatório de Atenção à Saúde Dr. Eduardo Medrado, de Palmas.

Em pauta, a criação de um protocolo de atendimento para a população mencionada e a elaboração de um cronograma de capacitação dos servidores para atendimento nas unidades de saúde, em todo o Estado. “Estamos articulando a participação da Secretaria de Estado da Saúde, no Valoriza Seg, um aplicativo da Secretaria de Segurança Pública, que trata do atendimento voltado para os LGBTs e demais populações vulneráveis”, destacou a diretora de Atenção Especializada da SES, Dhieine Caminski.

Para o presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB, Landri Alvez Neto, “a saúde sexual deve ser mais bem explorada e aplicada de forma que atenda as necessidades de todos os públicos”, enfatizou.

Dentro da temática, a SES está em fase de articulação e avaliação da viabilidade da implantação do Ambulatório Transexualizador, pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em nível estadual, ampliando o atendimento já realizado em parceria com o município de Palmas, que atualmente oferece serviços psicológico e endocrinológico.

Fonte: Aldenes Lima – Foto: André Araújo/Secom-TO.

Posts recentes

Categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons